Cidades

AMS alerta para imunização contra sarampo

| Edição de


A queda no percentual de imunização e a reintrodução da doença no norte do país, está colocando a Autarquia Municipal de Saúde (AMS) de Apucarana em alerta contra o sarampo. Segundo dados do órgão, entre 2016 e 2017, o índice de cobertura vacinal caiu 6,8% na segunda dose. A orientação é para que os pais fiquem atentos à carteirinha de vacinação das crianças.
“Seguindo uma tendência nacional, a cobertura vacinal contra sarampo em Apucarana está abaixo do percentual de 90% recomendado pelo Ministério da Saúde. Em 2017 nosso índice fechou em 76,55% na primeira dose e de 76,44% na segunda. Em 2016, a cobertura registrada foi de 87,36% e 83,26%, respectivamente”, informa o diretor presidente da AMS, Roberto Kaneta.
No Brasil, a média de vacinação contra sarampo fechou em 84,97% na primeira dose no ano passado e de 71,55% na segunda. 
O alerta da AMS é fundamentado pelo crescente número de casos de sarampo confirmados no país, sendo 271 no Amazonas e 200 em Roraima. Nesta segunda-feira, a doença chegou a dois novos estados. O Rio de Janeiro confirmou dois casos e Rondônia um.
Na semana passada, o Ministério da Saúde anunciou ainda a ocorrência da doença no Rio Grande do Sul, onde foram confirmados 7 casos, em Mato Grosso 2 casos e São Paulo 1. Em Manaus aconteceu a primeira confirmação de óbito por sarampo, em uma criança de 7 meses.
O coordenador do setor de epidemiologia, Luciano Pereira da Silva, explica que Brasil, a proteção contra o sarampo faz parte das vacinas Tríplice Viral e Tetra Viral, disponíveis conforme calendário de vacinação do Ministério da Saúde e aplicada em duas doses: a primeira aos 12 meses de vida e a segunda, a dose de reforço, aos 15 meses.
No entanto, considerando aqueles que não foram imunizados dentro do que estabelece o calendário nacional de vacinação, o Ministério da Saúde orienta aos adultos de até 49 anos também busquem a proteção contra o sarampo.