Cidades

Apucarana discute Metrópole PR Norte

| Edição de


Apucarana vai sediar, na próxima terça-feira (4), a primeira audiência pública do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável da Metrópole Paraná Norte. O evento será aberto às 18h30, no auditório do Senac, e vai apresentar o plano desenvolvido a partir das oficinas realizadas nos 15 municípios envolvidos.
O prefeito de Apucarana, Beto Preto (PSD), afirma que a audiência contará com a participação de prefeitos, secretários e técnicos dos municípios. “Quero convocar especialmente a população de Apucarana e a sociedade civil organizada. Vamos discutir o futuro do Norte do Paraná e como os municípios e entidades vão se relacionar enquanto região metropolitana, no eixo Londrina/Apucarana/Maringá. É a segunda chance que estamos tendo para implantar esse planejamento e não podemos perder essa oportunidade”, afirma Beto Preto, referindo-se a estudos anteriores feitos para a criação da Metrópole Linear Norte (Metronor), entre as décadas de 70 e 80.
O Plano de Trabalho foi consolidado com as contribuições recebidas durante as oficinas de engajamento, realizadas entre julho e agosto deste ano. 
Para Cláudio Marchand Krüger, coordenador executivo do Plano da Metrópole Paraná Norte, a principal demanda, principalmente dos municípios menores, é ter maior integração com as cidades-polo, vendo no Plano uma oportunidade para aumentar a competitividade econômica e consequentemente a melhoria da qualidade de vida.
“Municípios maiores teriam, aparentemente, uma situação mais confortável, inclusive com alguns planos de desenvolvimento já em andamento. Por outro lado, as oficinas mostraram a desigualdade que ocorre entre as cidades-polo e os municípios vizinhos, havendo um grau de isolamento que poderia ser gradualmente superado com uma maior integração social e econômica”, afirmou. 
Um dos objetivos principais da próxima etapa do plano, denominada Etapa de Contextualização, é mapear as potencialidades, deficiências, oportunidades e ameaças ao desenvolvimento da região. Essas informações estão em fase de coleta e análise pela equipe técnica do plano. “A integração das potencialidades e oportunidades e também a união de forças para fazer frente às deficiências e ameaças são os objetivos principais do Plano e devem ser analisados com mais detalhamento na Fase 3 – Cenários e Visão de Futuro”, completou Krüger. (EDITORIA DE CIDADES)