Política

Apucarana resgata convênios junto ao governo do Estado

| Edição de

Dois convênios para aquisição de veículos, no valor de R$ 129 mil, foram resgatados pelo município de Apucarana. Os processos haviam sido encaminhados junto ao governo do Estado no início do ano passado, mas não avançaram. Contando com a ajuda do ex-prefeito de Apucarana e atual secretário estadual de Saúde, Beto Preto, os processos foram liberados para a licitação. Durante a solenidade, foram anunciados mais recursos para região.
O anúncio foi feito ontem pelo prefeito de Apucarana, Junior da Femac (PDT), e por Beto Preto.  “Trata-se de um veículo destinado para a Secretaria Municipal da Promoção Artística, Cultural e Turística e outro que será utilizado no prédio central da Prefeitura”, informa Junior da Femac.
O processo já consta do Sistema de Acompanhamento e Monitoramento do Paraná Cidade e a licitação está autorizada pelo governador Ratinho Junior (PSD) e por João Carlos Ortega, secretário estadual de Desenvolvimento Urbano (Sedu). “Apucarana, aos 75 anos, tem novamente representatividade no cenário estadual. Os dois convênios estavam perdidos, mas temos agora pessoas em Curitiba sempre vigilantes com o nome de Apucarana. Graças ao auxílio do  Beto Preto, conseguimos recuperar esses dois convênios”, frisa Junior da Femac.    
O prefeito de Apucarana salienta que os recursos são a fundo perdido, ou seja , não precisarão ser ressarcidos pelo Município. “Precisaremos apenas participar com o valor da contrapartida. No veículo de maior valor, orçado em R$ 82.990, a contrapartida será de R$ 12.990. Já o outro, no valor de R$ 46.040, a contrapartida será de R$ 6.040”, detalha Junior da Femac. 
O secretário estadual de Saúde, Beto Preto, afirma que a partir de abril do ano passado muitos processos que estavam tramitando no Governo do Estado foram paralisados. “Todos os processos estão sendo agora continuados, demonstrando o compromisso do governador Ratinho Junior com Apucarana”, reitera.
Um dos processos que estão sendo retomados é da nova maternidade do Hospital Providência.  “O processo estava esquecido numa gaveta, mostrando desrespeito com as gestantes que serão atendidas neste espaço majoritariamente pelo SUS”, lamenta Beto Preto.