Cidades

Apucaranense é preso em operação contra pedofilia

| Edição de

Operação Luz na Infância 8 deflagrada pelo Ministério da Justiça para identificar autores de crimes de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes praticados na internet. A operação foi realizada em 18 estados brasileiros e cinco países. No Estado, foram cumpridos mandados de busca e apreensão em oito municípios.
Durante o cumprimento do mandado em Apucarana, em um endereço na Vila Formosa, a equipe policial se deparou com o suspeito dormindo com o computador ligado com material pornográfico na tela, o que configurou flagrante. “Ele estava armazenando diversos vídeos e fotografias, cenas envolvendo material de pornografia infantil. Quando a equipe chegou no local, o computador estava ligado e de início o investigador já encontrou a existência do material pornográfico. Na casa haviam outras pessoas, mas ele afirmou que somente ele utilizava o equipamento dentro do quarto”, explica o delegado chefe, Marcus Felipe da Rocha. 
O computador, além de celulares, CDs e DVDs que estavam no imóvel foram apreendidos e tudo será encaminhado para uma perícia. 
O detido se apresenta como cantor sertanejo e tem um canal no YouTube. “Ele foi autuado no crime previsto dentro do estatuto da criança e adolescente, no artigo 241 B, que é de armazenar fotografias, vídeos contendo cenas pornografias envolvendo crianças e adolescentes. Todo material será levado para perícia, para saber se ele compartilhava ou só armazenava. Se a perícia comprovar que além de armazenar material ele também compartilhava, pode responder por uma pena maior”, informa o delegado. Como o crime cabe fiança, o suspeito foi liberado no final da tarde após recolher R$ 2 mil . 
Além do Brasil, a operação foi realizada na Argentina, Estados Unidos, Paraguai, Panamá e Equador. 
Os policiais cumpriram 176 mandados de busca e apreensão. No Paraná, foram sete mandados cumpridos em Curitiba, Londrina, Maringá, Apucarana, Pato Branco, Andirá e Matelândia que resultaram em três prisões. Seis pessoas irão responder por armazenamento do material de pornografia infantojuvenil. 
Nas sete edições anteriores, realizadas entre 2017 e 2020, a Luz na Infância cumpriu mais de 1,4 mil mandados de busca e apreensão e prendeu cerca de 700 suspeitos de praticarem crimes cibernéticos.