Opinião

As próximas semanas serão cruciais para saúde do PR

| Edição de


A crise da pandemia do coronavírus no Brasil tem exigido a adoção de medidas drásticas e respostas dinâmicas de acordo com a evolução do cenário. No Paraná, a semana começou com 6 casos confirmados e 38 notificações. Na sexta-feira, já eram 36 casos confirmados e 375 notificações.
A velocidade de expansão do Covid-19 é que o torna esse vírus tão complexo em termos de saúde pública. Bem por isso, as medidas de contenção que foram aplicadas ao longo desta semana foram evoluindo em questão muitas vezes de horas. 
A partir deste final de semana é que a população da região começará a sentir realmente  os impactos do isolamento social. Missas foram suspensas e várias igrejas evangélicas também suspenderam seus cultos. Shoppings e restaurantes estão fechados. 
Amanhã, a maioria dos municípios da região também está com o comércio de rua suspenso. As medidas foram adotadas em Apucarana, Arapongas, Ivaiporã e Jandaia do Sul, além de Londrina e Maringá.
Como se sabe, todas essas medidas terão um profundo impacto na economia. Some-se a isso o custo que o estado terá no tratamento dos pacientes e o cenário é bastante preocupante. Espera-se, portanto, que o custo não seja em vão. É preciso que a população seja efetiva nesse plano de contingência adotado.
Há uma parcela da sociedade - isso fica muito claro nas redes sociais - que vem insistindo em não abrir os olhos para a dimensão dessa pandemia para o país e também para o mundo.
Minimizar os riscos e se expor e expor os outros desnecessariamente é de uma irresponsabilidade criminosa. O comportamento da população nessas próximas semanas é que vai definir a quantidade de mortos a ser contabilizada nos próximos meses. A hora é de ter consciência.