Cidades

Colmeias urbanas vão ganhar incentivo em Apucarana

| Edição de


A Secretaria Municipal de Agricultura realiza na próxima quinta-feira (12) um encontro dos meliponicultores de abelha sem ferrão, em Apucarana. O objetivo é incentivar a criação da espécie jataí na área urbana do município, além de estimular a proteção ambiental por meio do cultivo de plantas para alimentação e nutrição desse inseto, que tem papel importante na polinização. 
O secretário municipal de Agricultura, José Luiz Porto explica que o projeto tem enfoque de conscientização ambiental e será desenvolvido no meio urbano, sem deixar de incrementar a criação de abelhas na zona rural. “A melipolicultura já é um trabalho feito desde 2016, em Apucarana. Mas esse encontro será voltado à população urbana, principalmente os moradores que têm bons terrenos para a criação da abelha, para ter mel para consumo próprio”, comenta. 
De acordo com o secretário, no Brasil são mais de 300 tipos de abelhas sem ferrão. A jataí foi escolhida pelo perfil dócil e boa convivência no meio urbano, além de produzir mel com várias propriedades benéficas à saúde. “A jataí é tranquila, não briga entre colmeias e não ataca a população. É uma abelha diferenciada até culturalmente”, reitera. 
Porto destaca que os moradores da área urbana interessados em desenvolver a meliponicultura terão acesso a mudas de plantas do viveiro municipal para viabilizar um ambiente favorável à alimentação e nutrição desses insetos. 
“O homem é um extrativista e só tira da abelha. Muitas vezes não olha com olhos de sabedoria com responsabilidade de plantar mais flores e árvores que produzam alimento para a coleta das abelhas. Por isso o enfoque desse projeto é a conscientização ambiental. Vamos fornecer mudas de plantas que produzam flores o ano inteiro como manjericão, hibisco, aurora, dentre outras variedades”, afirma.