Colunas

Congresso fragmentado

| Edição de

O aumento da fragmentação partidária após as eleições do último domingo exigirá esforço do próximo presidente da República para ter sustentação no Congresso Nacional. Como apontam cientistas políticos, a articulação passa por conseguir equacionar a agenda de trabalho com as demandas dos aliados, que querem partilhar poder e recursos para atender suas bases. A Câmara dos Deputados passará dos atuais 25 partidos representados para 30. No Senado, o crescimento é de 15 a 20 legendas. A eleição também implicou na renovação dos nomes da próxima legislatura. Das 54 vagas disputadas no Senado, 46 serão ocupadas por novos parlamentares. Na Câmara, são novos 52% dos deputados, a maior taxa de mudança nos últimos 20 anos. Segundo o sociólogo e cientista político Bolívar Lamounier, “a fragmentação do Parlamento subiu para o espaço” e o Brasil “atingiu o índice mais alto do mundo com partidos representados no Parlamento”.