Cidades

Defensoria Pública terá sede própria em Apucarana

| Edição de

A Defensoria Pública de Apucarana terá sede própria. A concessão do espaço pelo município foi aprovada em votação na Câmara de Vereadores. O imóvel fica na Rua Erasto Gaertner, nº 126, no centro da cidade, contudo a mudança ainda não tem data definida por conta da pandemia de coronavírus. 
Além da localização privilegiada que facilitará a logística e acesso da população, a sede proporcionará maior conforto tanto aos servidores quanto ao público. Serão sete salas, mais a recepção. “Teremos um espaço maior, com mais privacidade para atender as pessoas. A sede própria vem para fortalecer a instituição da defensoria e afirmar sua autonomia”, destaca a defensora pública Renata Miranda Duarte. 
Ela adianta ainda que a defensoria está pleiteando a reforma do imóvel, possibilitando a ampliação do atendimento. A obra depende de autorização da sede administrativa da instituição, em Curitiba. Contudo, não há previsão para aumentar o número de servidores. Atualmente, a defensoria ocupa três salas no Fórum Desembargador Clotário Portugal, com nove funcionários, sendo duas defensoras, assistente social, 4 estagiários de graduação e 2 de pós-graduação. 
“Já temos um pleito para aumentar o número de servidores, mas a gente encontra barreiras no quesito concurso. Precisamos de servidores psicólogos, assessor jurídico e técnico administrativo. Em breve o Paraná terá um concurso para defensor público, mas não sei se Apucarana será contemplada”, afirma. 
O baixo número de colaboradores é um problema antigo da defensoria de Apucarana, que está sobrecarregada. Somente nos meses de maio e junho foram realizados mais de 470 atendimentos, entre contatos telefônicos que resultaram em ações e outros em pedidos de informação. “Isso sobrecarrega e acabamos fazendo uma carga horária maior do que a prevista. Mas conto com o empenho da equipe para dar andamento ao trabalho”, assinala.