Colunas

Dívida financeira e social

| Edição de


Ao entregar na manhã de ontem as obras de reforma e ampliação do CMEI Serafim Colombo, no Jardim figueira, o prefeito de Apucarana, Junior da Femac (PDT), voltou a lamentar que o Município venha pagando um média de R$ 1,5 milhão ao mês de dívidas herdadas de gestões anteriores a 2013. Segundo ele, esse dinheiro seria suficiente para fazer três obras como a que foi entregue ontem. “São dívidas geradas pela conduta irresponsável de ex-prefeitos que resultaram num grande passivo trabalhista. E, além da amortização da dívida financeira, também estamos resgatando a dívida social com milhares de apucaranenses”, argumentou Junior da Femac. No evento, o prefeito fez questão de enaltecer o planejamento e as obras, na rede municipal de educação, realizadas pelo ex-prefeito Beto Preto (PSD).