Política

Grupo de prefeitos da região leva reivindicações ao Estado

| Edição de

Um grupo de prefeitos da região estará em Curitiba na próxima terça-feira para fazer uma série de reivindicações ao governo do Estado. Liderado pelo prefeito de Ivaiporã, Miguel Roberto Amaral (PSDB), o grupo é o mesmo que, recentemente, assinou um protocolo de intenções para criar uma nova entidade municipalista abrangendo algumas cidades do Vale do Ivaí e outras da Região Central do Estado. 
Dentre as propostas, Miguel Amaral destaca a duplicação da rodovia PR-466, pavimentação da estrada de Godoy Moreira a Jardim Alegre, construção da ponte sobre Rio Ivaí entre as divisas de Jardim Alegre e Grandes Rios, pavimentação da estrada de Arapuã até Nova Tebas, regionalização do aeroporto de Manoel Ribas e concretização do Hospital Regional em Ivaiporã. “Já temos horário marcado na Casa Civil, e a associação dá os primeiros passos para a sua criação com algumas propostas desenvolvimentistas”, assinala. 
Miguel Amaral se diz otimista com a criação da nova entidade que, segundo ele, vai unir alguns municípios do Vale do Ivaí e região central do Estado em torno de um objetivo comum de desenvolvimento regional. “Já estamos com o protocolo de intenções assinado pelos prefeitos e trabalhando para isso. Entendemos que é importante termos nossa própria identidade”, argumenta. 
Outro fator para a criação da entidade municipalista, segundo Amaral, é que os municípios não identificaram na cidade polo Apucarana a convergência de ideias idênticas às suas realidades. “Por isso, buscamos de forma republicana um novo formato com base nas microrregiões de Faxinal e Ivaiporã”, esclarece Miguel Amaral. 
Ainda segundo o prefeito de Ivaiporã, para a criação da nova associação, estão sendo consultados vários estudos, dentre eles, os relatórios do Ipardes, onde constam as duas regionais com identidade territorial e socioeconômica. “A nova associação é, sim, uma decisão coerente também com a realidade e, por sua vez, com demandas similares, onde se busca a eficiência e eficácia das gestões”, completa Miguel Amaral.