Cidades

Lotação faz Hospital da Providência anunciar restrição de atendimentos

| Edição de

A alta taxa de ocupação dos hospitais da região, intensificada pela suspensão temporária do Pronto Atendimento Geral do Hospital Norte Paranaense (Honpar) de Arapongas, levou o Hospital da Providência de Apucarana a restringir por algumas horas o atendimento de pacientes ontem. Com ocupação de leitos de UTI em 130% e de leitos clínicos em 127%, a diretoria emitiu um comunicado da decisão no início da tarde. Após reuniões com representantes da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), o hospital garantiu normalização do atendimento para a noite de ontem.
O Hospital da Providência é uma das três unidades e referência de atendimento do covid na área da 16ª RS, junto com o Honpar e o Hospital Nossa Senhora de Fátima, de Jandaia do Sul. Nas últimas semanas, todos vem funcionando com altas taxas de ocupação. 
Após reunião com o diretor de Articulação Regional da Sesa, Edmundo Verona, que esteve pessoalmente em Apucarana por determinação do secretário Beto Preto, o hospital encaminhou nova nota, informando que “em união de esforços e os atendimentos retornam a normalidade ainda no meio da noite”. “Ressaltamos que a ocupação do Hospital continua acima da capacidade instalada e que precisamos de cooperação da comunidade para respeitar as medidas restritivas em relação ao distanciamento social, uso obrigatório de máscara e higienização das mãos”, afirma.
A Secretaria de Estado da Saúde do Estado do Paraná (SESA) destacou que serviços de emergência que são referenciados Honpar e Hospital da Providência, em Apucarana, continuam atendendo a população.
Segundo a Sesa, uma situação pontual de caso confirmado de Covid-19 no Honpar acarretou em restrições do Pronto Socorro por consequência, aumentou a demanda no Hospital da Providência. 
A previsão da Sesa é que a normalização do funcionamento das alas dos dois hospitais ocorra hoje “A situação assistencial é complexa em todo o Paraná e nestas unidades houve necessidade de reorganização temporária de fluxo, mas o atendimento de urgência referenciado do Samu está mantido regularmente em toda região”, afirma o médico Vinícius Filipak, chefe da Diretoria de Gestão em Saúde (DGS) da Sesa, que também acompanha o caso.
O boletim de ocupação das vagas exclusivas do covid da 16ª RS, divulgado na tarde de ontem, apontava para ocupação de 137,2% na enfermaria, com 70 pacientes internados e 95,6% na UTI do Hospital da Providência, com 22 pacientes. A enfermaria do Hospital Nossa Senhora de Fátima estava com todos os 25 leitos de enfermaria ocupados. O boletim não trouxe informações do Honpar.
Na semana passada, a a Sesa contratou mais 11 vagas de enfermaria para o Providência e 16 leitos - entre UTI e enfermaria - no Honpar.