Cidades

Municípios contestam uso de CPF de mortos em vacinação

| Edição de

O Prefeituras dos seis municípios da região apontados como alvos de denúncias de uso de CPF de pessoas mortas na vacinação contra a Covid-19 contestam informações da Comissão Especial de Investigação (CEI) da Assembleia Legislativa do Paraná. Em todo o Paraná, segundo a CEI, seriam 39 municípios, enquanto da região aparecem na lista São Pedro do Ivaí, Rosário do Ivaí, Jandaia do Sul, Cambira, Godoy Moreira e Arapongas.
Prefeitos e secretários de Saúde dos municípios citados rebateram as informações e dizem que não foram notificados pela comissão para prestar esclarecimentos. Mesmo assim, já iniciaram apuração para descobrir se houve alguma falha neste sentido.
No caso de Arapongas, segundo o secretário municipal de Saúde Moacir Paludetto Junior, já havia uma investigação interna aberta por ordem do prefeito Sérgio Onofre da Silva (PSC) para tratar desse fato. “Ocorre, no caso de Arapongas, que foram emitidas listas prévias nas UBS de acordo com a faixa etária para termos uma base de quantas pessoas seriam vacinadas. Os nomes dos vacinados eram marcados nessa lista, manualmente, para no final do dia serem incluídos no sistema. Como na época estávamos vacinando os mais idosos, algumas dessas pessoas já haviam falecido. Porém, quando da inclusão no sistema, o servidor responsável acabou cadastrando a lista inteira e não apenas os nomes marcados como vacinados, gerando esta confusão”, explica Paludetto.
O secretário informou ainda que, tanto não houve vacina para essas pessoas, que não há ficha individual de vacinação, tampouco houve retorno para tomar a segunda dose. “Ninguém se valeria de documentos de falecido para tomar apenas uma dose, o que descarta a hipótese de fraude. Nosso sistema não tem integração com a base de dados de óbitos, daí porque aceitou a inclusão desses nomes”, acrescenta o secretário
O prefeito de Jandaia do Sul, Lauro Junior (PSL) informou que um levantamento com todos os vacinados da cidade foi realizado e finalizado nesta segunda-feira (7) para verificar se existem irregularidades. “Assim que apareceu o caso da falsa enfermeira em Apucarana, prontamente, solicitei que o Departamento de Saúde verificasse as pessoas vacinadas através do CPF e cartão SUS”, explica. Em viagem a Curitiba, Lauro disse que nesta quarta-feira (9) deve verificar os nomes e documentos. “Caso haja irregularidades, as pessoas envolvidas serão punidas”, complementa.
Para o prefeito de Cambira, Emerson Toledo Pires (MDB), a notícia da divulgação do município nesta lista causou surpresa. “Encaminhamos nesta manhã uma documentação para análise da CGU, pois faltava uma data de vacinação para concluir um processo, mas não tem nada notificado em relação a Cambira. Ele acredita que a folha está no sistema do Plano Nacional de Imunização (PNI). “Eu confio muito na minha equipe de Saúde”, declarou.