Opinião

Pacote social garante apoio a famílias em vulnerabilidade

| Edição de


O governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciou anteontem um pacote social para ajudar famílias paranaenses mais carentes a enfrentarem a pandemia do novo coronavírus. 
Com um investimento previsto de R$ 400 milhões, o governo do estado vai adotar medidas em várias frentes como forma de garantir condições mínimas para cerca de 300 mil famílias paranaenses em maior vulnerabilidade social.
Entre as medidas a ser adotadas está o auxílio financeiro. O governo vai garantir uma renda mínima para as famílias. O recurso será distribuído de acordo com quantida de membros de cada família em um período de cinco meses.  Os recursos são do Fundo Estadual de Combate e Erradicação à Pobreza (Fecop)
Outras medidas anunciadas anteontem envolvem a suspensão de contas a pagar. A Sanepar adiou, por 90 dias, a cobrança de contas de água e esgoto para os clientes cadastrados na Tarifa Social. O mesmo período foi dado pela Cohapar na suspendeu a cobrança de parcelas dos mutuários além da instituição de condições especiais de renegociação de débitos. A Copel  também propôs mudanças no programa Luz Fraterna. O limite de consumo foi ampliado para 150 kWh por mês e as contas de luz de 217,5 mil famílias serão custeadas pelo Governo do Estado por 90 dias.
Outro ponto que merece destaque nesse pacote social é a alimentação. O governo vai encaminhar os produtos já adquiridos para merenda escolar para famílias de alunos da rede estadual inscritos no Bolsa Família. Essa distribuição, além de garantir alimentação das famílias, também é fundamental  para não quebrar o ciclo produtivo da agricultura familiar, responsável por um percentual significativo dos produtos da merenda escolar e que será seriamente prejudicada com a suspensão do recebimento desses alimentos - que são frescos e, portanto, perecíveis - em virtude da suspensão das aulas e das feiras livres.
Além de receber o que já foi contratado, o estado vai ampliar a compra de alimentos da agricultura familiar,  com cadastro de 3 mil novas famílias de produtores. São medidas importantes em um contexto econômico bastante preocupante.