Cidades

Prefeito de Apucarana é alvo de video difamatório nas redes sociais

| Edição de

A Polícia Civil iniciou ontem investigações para identificar os envolvidos no caso do vídeo difamatório contra o prefeito de Apucarana, Junior da Femac, que viralizou nas redes sociais. A auxiliar de barbearia Silmara Vanessa de Souza foi identificada como a responsável por ter encomendado o vídeo e foi encaminhada até a delegacia para prestar depoimento. O prefeito de Apucarana também esteve no local e registrou boletim de ocorrência. De acordo com o delegado da 17ª Subdivisão Policial (SDP), Marcus Felipe da Rocha Rodrigues, Silmara irá responder pelo crime de injúria. 
“Embora o delito não cause inicialmente uma prisão, é uma circunstância muito grave que envolve uma autoridade pública. Esse tipo de brincadeira pode gerar consequências, é crime e pode sim refletir em uma pena. Nesse caso, nós estamos tipificando como crime de injúria, fazendo as oitivas de todos os envolvidos, para encaminhar ao juizado especial criminal”, explicou o delegado. 
O vídeo que viralizou nas redes é protagonizado pela travesti Valéria Huston, de Poços de Caldas (MG) conhecida por zoar pessoas na internet. Ela gravou um vídeo em que sugere intimidade com o prefeito de Apucarana. Logo após a repercussão do caso, Valéria gravou outro vídeo onde aparece se desculpando pela brincadeira.
“Gente, eu não conheço o Junior da Femac. Foi uma brincadeira que não foi bem sucedida. Eu fui usada, na verdade, por adversários. Sou artista e comediante e não conheço ele. Quero deixar aqui meu perdão, a minha desculpa”, disse Valéria em vídeo. 
O prefeito Junior da Femac esteve na delegacia acompanhado do procurador jurídico Paulo Sérgio Vital. Ele não concedeu entrevista ao sair da delegacia, mas se manifestou através de vias oficiais. “O vídeo expôs meu nome de maneira negativa, causando constrangimento. Trata-se de uma forma de fake news e isso precisa ser apurado rigorosamente, considerando a suspeita de envolvimento de terceiros”, afirmou, em nota distribuída no início da noite pela assessoria de imprensa. 
A mulher identificada como responsável por encomendar o vídeo assumiu a culpa e diz que não foi orientada por ninguém a realizar o que ela chamou de brincadeira. Acompanhada de seu advogado, ela concedeu uma entrevista após prestar depoimento.  “Ninguém me orientou, foi ideia da minha cabeça mesmo. Não foi minha intenção ofender ele, estou muito arrependida, era para ser uma brincadeira”, disse Silmara.