Opinião

Preocupação com vacinas deveria ser algo rotineiro

| Edição de

As mortes do pequeno Arthur Araújo Lula da Silva, 7 anos, neto do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, em São Bernardo do Campo, em 1º de março e do adolescente João Pedro Ferrari, 16 anos, que morreu no mesmo dia em Capanema, oeste do Paraná, são apontadas como os principais motivos para a recente corrida a postos de saúde e também a clínicas privadas de imunização em busca de vacinas contra a meningite. Criança e adolescente foram vítimas de meningite meningocócica, uma das formas mais agressivas da doença cujos casos são caracterizados por uma evolução muito rápida.