Cidades

Produtores rurais de Ivaiporã terão centro de distribuição

| Edição de

Com a finalidade de melhorar a comercialização e logística, a Associação da Agricultura Familiar de Jacutinga está implantando Centro de Distribuição e Comercialização (CDC) de hortifrútis. A unidade vai funcionar em uma construção abandonada há 10 anos em um terreno doado pelo poder público na rodovia Celso Fumio Makita, no acesso secundário da cidade.
Como a empresa não cumpriu as condicionantes da doação da área, a Prefeitura de Ivaiporã foi à Justiça e conseguiu reaver o imóvel. O prefeito Miguel Roberto do Amaral relata com entusiasmo a criação do CDC. “O centro vai atender todos os produtores do município, com a associação de Jacutinga sendo a responsável pela gestão dos negócios. Quero agradecer os vereadores que votaram favorável ao projeto de lei de cessão de uso para a associação e agora vamos reformar o barracão para iniciar o recebimento das frutas e verduras”.
Conforme Rosana Pagé, secretária de Indústria, Comércio, Serviços e Agronegócios, o CDC faz parte do programa Frutifica, implantado no ano passado pela atual administração. Para atender os produtores, a secretaria contratou uma empresa de planejamento e treinamento com o objetivo de fortalecer e desenvolver o setor. 
“Com a implantação do programa, a produção de frutas no município aumentou muito. A gente encontrou bastante dificuldade na comercialização, porque quem vem buscar não quer chegar nas propriedades e quando buscam no sítio, o preço pago no produto cai muito. Tendo o centro aqui próximo à rodovia, conseguiremos preços melhores para os produtores, além é claro de incentivar que mais pessoas também venham a produzir frutas”, destaca. 
A ideia, segundo Miguel Amaral, é a partir da instalação do CDC transformar a associação em cooperativa para que Ivaiporã possa também receber e comercializar as frutas de outros municípios da região. “Queremos criar em Ivaiporã, uma rede de produção e vamos trabalhar com os municípios vizinhos para criar o circuito das frutas, que é um projeto que deu muito certo em Jundiaí (SP)”, comenta.