Cidades

Prolongamento da Rouxinol deve ser concluído em 60 dias

| Edição de

As chuvas registradas na região nos últimos dias têm afetado o andamento das obras de infraestrutura sendo realizadas em Arapongas. Uma delas é a pavimentação do prolongamento da Rua Rouxinol, na zona sul da cidade. A expectativa da administração municipal é finalizar a obra em até 60 dias. Porém, este prazo pode ser revisto.
A obra foi iniciada em junho de 2018. Quando pronta, a pavimentação da Rua Rouxinol irá interligar o Parque Industrial à estrada da Colônia Esperança, o equivalente a pouco mais de 1,3 quilômetro. Ao todo, são 12,7 mil m² de asfalto, com investimentos na ordem de R$ 2 milhões advindos do Governo do Estado e R$ 138 mil de contrapartida do município.
De acordo com o vice-prefeito e secretário de Obras de Arapongas, Jair Milani, a obra já está em estágio avançado. “A parte de drenagem do solo já está pronta. Esta é a última etapa antes da pavimentação propriamente dita. No entanto, com as chuvas que caíram no começo deste ano, as obras ficaram paralisadas. É impossível trabalhar com o tempo chuvoso”, explica.
Milani aponta ainda que houve um pequeno atraso no cronograma da obra, mas ainda não é possível saber se o prazo para entrega da obra será alterado. “É uma obra um pouco mais fácil, em termos de engenharia, do que aquela que está sendo feita na Rua Pavão, por exemplo. Por isso, acredito que ainda poderemos ter a pavimentação pronta dentro do prazo estipulado. Esperamos que esteja tudo pronto em cerca de 60 dias. Mas, caso o tempo volte a fechar, podemos rever isso”.
Entre quem trabalha, mora ou trafega pela via, há uma grande expectativa para que a obra seja concluída. É o caso de William Pereira Soares, que trabalha como furador e mora na região. “O asfalto vai melhorar muito a vida da gente, principalmente quando chove. Hoje em dia, é muito barro, fazendo com que a gente tenha que se arriscar na rodovia para chegar em casa”, diz.
O auxiliar de serviços gerais Mauro Silva concorda. “Esta é uma reivindicação antiga dos moradores da região. A terra atrapalha muito quem tem que ir trabalhar ou estudar. Vai ser excelente quando a obra ficar pronta”, avalia.