Cidades

Revisão do Plano Diretor de Arapongas deve reavaliar atual sistema viário

| Edição de


Uma audiência pública realizada na noite de anteontem na Câmara Municipal de Arapongas deu início ao processo de revisão do Plano Diretor Municipal. Entre os principais desafios a serem enfrentados no processo estão ordenar a expansão do município e superar os ‘pontos cegos’ do sistema viário local.
Segundo o prefeito Sérgio Onofre (PSC), o Plano Diretor é o principal direcionamento do crescimento do município, cujas diretrizes precisam ser modernizadas. “O plano tem que acompanhar a evolução da cidade e essa é a nossa meta”, destaca.
Dentro do que prevê a legislação, todo o processo deve ser acompanhado pela população. Anteontem, foi formada também a Comissão de Acompanhamento da Revisão do Plano Diretor Municipal, composta por representantes da comunidade que vão acompanhar os trabalhos.
A revisão do plano está sendo feita pela prefeitura em parceria com o curso de Engenharia da Universidade Estadual de Londrina (UEL), que vai prestar consultoria especializada. 
Segundo o gerente de Desenvolvimento da Secretaria de Obras de Arapongas, Israel Biazon Filho, o estudo está em fase inicial, contudo, algumas demandas são consideradas prioritárias no processo. Uma das principais diz respeito ao sistema viário. “Atualmente da zona sul até o centro temos apenas um acesso”, analisa. 
A falta de ligações entre as regiões da cidade também afeta o eixo leste e oeste. Atualmente, o percurso entre as regiões é de 13 km. 
A prefeitura, inclusive, já tem um projeto pronto de interligações para melhorar a mobilidade na cidade estimado em R$ 7 milhões. Nesta semana, um parte do projeto foi viabilizada com a autorização das obras de revitalização da Rua Pavão.
Outros pontos que devem obrigatoriamente ser revisados no processo dizem respeito à atualização da legislação do plano. “Inicialmente temos um ordenamento jurídico deficiente em relação ao Plano Diretor atual que precisa ser atualizado dentro do que dispõe a legislação atual”, comenta.
A setorização da expansão da cidade também é um ponto que deverá ser discutido no processo. “Temos vários adensamentos populacionais em pontos da cidade que causam um estrangulamento dos serviços”, destaca.
Para que a população tenha acesso às discussões, a Secretaria Municipal de Obras informa que nos próximos dias estará no site do município um link em que todos poderão ter acesso, não só à audiência, mas a todo material desenvolvido para a revisão. “É a nossa forma de fazer com que a comunidade abrace essa discussão. Muitas pessoas reclamam do que pode e não pode ser feito na cidade e essa é a hora de dar sugestões”, comenta.
O processo de revisão deve ser finalizado no ano que vem.