Cidades

Safra de trigo deve chegar a 420 mil t

| Edição de


Com quebras registradas na safra de 2018, os produtores de trigo da regional de Ivaiporã da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab) caminham para uma temporada mais positiva. Até agora,  clima e mercado vêm colaborando. 
Ontem, a saca de 60 quilos era cotada a R$ 46,50. No mesmo período do ano passado, a cotação era de R$ 39,60. A expectativa dos produtores é colher 420 mil toneladas e amenizar parte dos prejuízos com o trigo da safra anterior. 
Conforme o engenheiro agrônomo Sérgio Carlos Empinotti, do Departamento de Economia Rural (Deral) a área plantada com a gramínea para esta temporada é praticamente a mesma área da safra anterior, ou seja, 120 mil hectares. 
A volta das chuvas em volumes regulares nas últimas semanas beneficiou o plantio da safra de trigo. Em 10 dias, a chuva acumulada chegou a 156,7 milímetros. “No geral o aspecto das lavouras melhorou com as chuvas nas últimas semanas”, relata Empinotti. 
A temperatura também vem se mantendo amena beneficiando as lavoura. “Teve altos e baixos, com clima mais quente em algumas horas no período da tarde, mas as noites e madrugadas tem se mantido abaixo de 18º C. Como resultado temos menos ocorrências de doenças”, analisa. 
Ainda segundo Empinotti, se o clima continuar colaborando a produção poderá chegar a 3,5 mil quilos por hectares alcançando uma produção de 420 mil toneladas contra as 288 mil toneladas da safra passada. “As condições de lavoura são consideradas boas, ataque de doença que é mais complicado para o trigo, até agora muito pouco ou quase nada”, destaca. 
Na safra do ano passado, a colheita do trigo deixou muitos produtores no prejuízo. Devido, a uma estiagem prolongada, o rendimento do cereal foi bem menor que a média esperada. “Foi um ano muito ruim para o trigo, com rendimento de tudo que tamanho, e até lavouras que não colheram nada. Em média 70% dos produtores colheram entre 60 e 100 sacas”, completa Empinotti. (IVAN MALDONADO)