Colunas

Títulos eleitorais duplicados

| Edição de

Entre 64 milhões de eleitores que já realizaram o cadastramento biométrico no País, a Justiça Eleitoral detectou mais de 25 mil títulos de eleitor duplicados, informou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O cadastramento biométrico começou em 2008 e é um método que permite identificar o eleitor por meio da impressão digital. O objetivo é prevenir fraudes e tornar as eleições mais seguras porque, segundo o TSE, a identificação biométrica impede que um eleitor vote no lugar de outro. Segundo o tribunal, 44% dos eleitores fizeram o cadastro. A meta é concluir o cadastramento até 2022. No total, há 146,3 milhões de eleitores no País. Segundo o secretário Giuseppe Dutra Janino, as duplicidades são identificadas ao se comparar as impressões digitais de novos eleitores cadastrados com as de eleitores cujas digitais já fazem parte da base de dados do TSE. Em um dos casos, uma única pessoa, de Goiás, portava 52 títulos de eleitor.