Política

Toffoli assume presidência do STF e prega respeito entre os poderes

| Edição de

O ministro Dias Toffoli defendeu ontem a harmonia e o respeito mútuo entre os poderes, acrescentando que o Judiciário não é “mais nem menos” que os demais.
Toffoli tomou posse nesta quinta como presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e comandará a Corte pelos próximos dois anos, acumulando também o cargo de presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).
Ele irá suceder a ministra Cármen Lúcia, que voltará a integrar a Segunda Turma da Corte, responsável pelo julgamento dos processos da Operação Lava Jato.
“Não somos mais nem menos que os outros poderes. Com eles e ao lado deles, harmoniosamente, servimos ao povo e à nação brasileira. Por isso, nós, juízes, precisamos ter prudência”, afirmou.
Indicado para o STF em 2009 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Toffoli é considerado pelos colegas um bom gestor e de perfil conciliador.
No seu discurso de posse, ontem, Toffoli afirmou que o Supremo é um órgão “moderador dos conflitos políticos, sociais e econômicos”.
O ministro também refletiu sobre o atual momento do país. “Não estamos em crise, estamos em transformação”, afirmou
Citando o psicanalista Jorge Forbes, Toffoli também disse que “o líder atual é o melhor articulador das diferenças, e não o guia de um caminho único”.
“O poder tem sua função na pluralidade. O poder que não é plural é violência!”, concluiu.
Para Toffoli, os tribunais também devem ser plurais, compostos por juízes com concepções de mundo e direito diversas. “Em um colegiado não existem vencedores e vencidos nem vitórias nem derrotas. Existe o plural. Existe o outro, que sou eu também”, disse.