Colunas

Votação relâmpago

| Edição de

A Comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou ontem texto-base de proposta que limita a divulgação de pesquisas eleitorais, amplia os limites para que pessoas físicas possam financiar candidatos e exige a participação das mulheres nas chapas à Presidência, governos estaduais e prefeituras. A votação ocorreu em uma sessão-relâmpago com apenas 18 deputados presentes, o número mínimo para que a reunião começasse. Os deputados aprovaram, por exemplo, a redução do tempo de campanha de 60 para 45 dias, o que favorece os atuais detentores de mandato. A parte da reforma que modifica a Constituição cria mais um fundo público para financiar candidatos, altera o modelo eleitoral do Legislativo para o chamado “distritão”, acaba com as coligações para eleição de deputados e vereadores e cria regras mais rígidas para barrar a proliferação dos partidos nanicos. O relatório amplia o limite para doações de pessoas físicas. Hoje elas só podem direcionar a candidatos até 10% do seu rendimento do ano anterior. O teto vai de 10% do rendimento ou 10 salários mínimos, o que for menor.