Colunas

Escola sem partido

| Edição de

A comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Paraná aprovou, anteontem, parecer favorável ao projeto “Escola sem partido”, que pretende restringir discussões sobre política, sexualidade e gênero nas escolas públicas estaduais. A proposta repete praticamente o mesmo texto de projetos semelhantes que vêm sendo apresentados por parlamentares evangélicos em câmaras municipais e assembleias de todo o País, sob a alegação de combater a doutrinação nas escolas. O projeto estabelece que seria proibido em sala de aula a prática de doutrinação política e ideológica, bem como a veiculação de conteúdo ou a realização de atividades de cunho religioso ou moral que possam estar em conflitos com as convicções dos pais ou responsáveis pelos estudantes. Os professores ficariam também proibidos de estimular seus alunos a participar de manifestações, atos públicos e passeatas.