Cidades

Perigo na pista

| Edição de


O ciclismo deixou de ser apenas um esporte e acabou se tornando um estilo de vida para muitos praticantes. Em Apucarana já são dezenas de grupos que se reúnem toda semana nas horas vagas, para praticar o esporte e estreitar amizades. Sem ciclovias na cidade, muitos deles se aventuram em rodovias, indo de uma cidade a outra, como forma de lazer e diversão. Prática que que pode oferecer perigo à vida dos ciclistas, que disputam espaço entre os carros que trafegam em alta velocidade.
A vendedora apucaranense Maria Aparecida de Melo, que pedala em um grupo há três anos, já sentiu na pele esse perigo. Ela está se recuperando de um grave acidente que sofreu há 50 dias na Avenida Brasil, trecho da BR-369, enquanto pedalava sentido Arapongas. “Fazemos esse passeio toda semana, e naquela noite, fiquei um pouco mais atrás do grupo. Foi quando um motorista, ao fazer a conversão no pontilhão não me viu e acabou me acertando em cheio. Eu quase morri”, conta.
Mesmo assim, Maria revela que não desistiu de pedalar. “Sabemos dos riscos e procuramos andar sempre com muita atenção, mas o ciclismo transformou a minha vida, me ajuda no corpo e na mente e os amigos também me incentivam muito a continuar”, afirma.